Devocional

Uma família na terra

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus” (Mateus 6)

Estamos falando sobre a identificação da nossa humanidade e coincidentemente, ontem, quando ia chegando em casa, quase 10 horas da noite, precisei parar para dar passagem a um senhor, que ia empurrando um carrinho cheio de objetos. Acho que trabalha vendendo lanches. Ele deveria ter mais ou menos 70 anos de idade. Pensei que um homem como aquele, já precisaria estar com uma vida mais confortável. Fiquei com um aperto no peito, cheio de desejos em ajudá-lo. Acredito que me identifiquei com ele na minha condição existencial, como gente humana que sou.
É sobre isso que Jesus está falando, quando disse: “Pai nosso que estás no céus”.  Ele deixou claro, que sua mensagem pretendia alcançar a nação judaica, o povo de Israel. E dizer para aquela turma que existia um pai no céu, era chover no molhado. Falar da necessidade do reconhecimento de uma divindade no céu, a quem poderíamos chamar de pai, seria uma espécie de redundância. Até porque naquela cultura, se tratando de crença, tudo se reportava ao Deus do céu. O que Jesus queria mesmo dizer, era: “Precisamos reconhecer que temos uma família na terra. Existe um Deus no céu que podemos chamar de nosso pai, porque existe uma família de homens e mulheres na terra, que se consideram irmãos”. Isso faz toda diferença para nossa humanidade!
Imagine que tipo de pessoa seríamos e que tipo de mundo teríamos, se nos sentíssemos família uns dos outros? Seríamos mais comprometidos com os que sofrem. Seríamos mais amorosos, generosos, solidários. Teríamos um mundo mais empático, justo e humano.
O apóstolo Paulo falando sobre isso na sua carta aos efésios, trata como uma revelação do mistério existencial. Ele diz que fomos feitos para sermos família de Deus. Quanto mais arraigados e alicerçados no amor fraternal, mais nos sentiremos completos, plenos de alma, menos angustiados. Sem nenhuma sombra de dúvida, esse sentimento de família nos fortalece, traz sensações de companhia, divide nossas cargas, somos menos solitários, nos sentiríamos mais seguros e encorajados. Por isso que a bíblia diz, que esse amor fraternal, lança fora todo medo.
Eu quero orar com você: “Pai, nos ensina a sermos família na terra. Nos move com sentimentos fraternais de amabilidade, solidariedade, socorro, generosidade. Que possamos crer num mundo melhor, a partir da nossa coragem de nos enxergarmos irmãos. Para nossa edificação e glória do teu nome. Amém!”
Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

6 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *