o-reino-dos-ceus-entre-nos-devocional-flavio-leite
Devocional

O Reino dos céus entre nós

“Jesus propôs uma parábola, dizendo: O reino dos céus é semelhante a um grão de mostarda, que um homem tomou e plantou no seu campo; o qual é, na verdade, a menor de todas as sementes, e, crescida, é maior do que as hortaliças, e se faz árvore, de modo que as aves do céu vêm aninhar-se nos seus ramos. Disse-lhes Jesus outra parábola: O reino dos céus é semelhante ao fermento que uma mulher tomou e escondeu em três medidas de farinha, até ficar tudo levedado” (Mateus 13)

O pensamento de que o reino dos céus será plantado na terra através do extraordinário, do poder, não se harmoniza com a mensagem do Jesus de Nazaré. Todas as vezes que ele falou sobre isso, deixou claro que o reino dos céus sempre será construído a partir da simplicidade, do comum, das coisas pequenas. O texto que lemos, é uma sequência de parábolas contadas por Jesus, onde ilustra a construção do reino dos céus na terra. Ele insiste em dizer, que existe uma simplicidade despretensiosa na plantação desse reino. Mesmo sendo algo pequeno, encontrado na simplicidade, naquilo que é comum, quando nos aproximamos desse reino, somos surpreendidos em todas as nossas expectativas humanas, e nunca mais a nossa vida será a mesma. Primeiro, Jesus diz que o reino dos céus é semelhante a um minúsculo grão de semente que, plantado, ultrapassa todas as expectativas. Se torna uma árvore frondosa, onde os pássaros são atraídos para os seus ramos. Observe que não existe nada de extraordinário. É apenas uma pequena semente, mas, mesmo com toda sua simplicidade comum, se olharmos com apreciação, não poderemos negar que é algo maravilhoso. Como pode uma semente tão pequena, se tornar uma árvore tão grande? Segundo, Jesus diz que o reino dos céus é semelhante ao fermento escondido em uma porção de farinha. Depois que o fermento entra em contato com a farinha, transforma completamente aquela massa. Não terá mais como voltar a ser a mesma farinha de antes. Jesus está dizendo em primeiro lugar que, o reino dos céus acontecerá entre nós, não através da grandeza. Não vai ser pela influência dos poderosos. A igreja, se quiser experimentar o reino dos céus, terá que se voltar para a simplicidade. Fico triste quando vejo a igreja evangélica brasileira, embriagada pelo poder político; achando que estamos plantando o reino dos céus entre nós, pelo fato de termos o favor dos poderosos. Isso é um tremendo engano. Jesus está dizendo em segundo lugar que, se você não quer experimentar processos crescentes desse reino na sua vida, não se aproxime dele. Pois, é como um fermento escondido numa porção de farinha, que levedando a massa, não terá mais como voltar a ser o que era antes. Se você algum dia foi tocado por esse reino e agora está querendo voltar a ser o que era antes, isso não vai acontecer. Se você um dia deixou esse reino entrar na sua vida, e agora está desejando viver como se nunca tivesse acontecido, não vai dar certo, você vai ficar infeliz. Eu quero orar com você: “Pai, sabemos da nossa necessidade de plantação do teu reino entre nós. Nos dá maturidade para enxergarmos o reino dos céus no comum e simplicidade das nossas vidas. E se existe alguém que um dia foi visitado por esse reino, e que está desanimado, querendo retroceder, fortalece para o bem dessa vida e glória do teu nome”.

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *