Devocional

O cuidado como fruto da fé

“Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo? Se alguém estiver carecido de roupa e necessitado do alimento cotidiano, e qualquer dentre vós lhe disser: Ide em paz, aqueça-se e farte-se, sem, contudo, lhe dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso? Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta” (Tiago 2)

Confortar com palavras sempre será algo necessário e de fundamental importância. Nossa alma precisa do consolo e conforto através de palavras que edificam. Mas só com palavras, sem ação, não conseguiremos consolidar a fé. Precisaremos da obra, da ação, do testemunho praticado. Estamos nesses últimos dias, caminhando para uma situação de extrema falta. Pessoas precisarão receber, não só palavras de conforto, mas, também, assistência material. Essa será uma boa oportunidade para todo aquele que expressa alguma crença em Deus. Oportunidade de encarnar a sua profissão de fé, ou melhor, não só encarnar, mas, também, alimentar sua fé para que não morra. Giovanni di Pietro, mais conhecido como São Francisco de Assis, preocupado com a morte e ausência da encarnação da fé, disse: “Prega o evangelho em todo tempo, e, quando necessário, use algumas palavras”. O texto que lemos, diz: “Se alguém estiver carecido de roupa e necessitado do alimento cotidiano, e qualquer dentre vós lhe disser: Ide em paz, aqueça-se e farte-se, sem, contudo, lhe dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso? Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta”. Não existe fé, sem o cuidado com o outro; com aqueles que estão próximos a nós. Nossa crença e amor a Deus, está intrinsecamente ligada ao cuidado pelo próximo. A bíblia diz, que se dissermos que amamos a Deus e aborrecermos o nosso próximo, a verdade não está em nós; pois, aquele que não ama o seu próximo a quem vê, não pode amar a Deus a quem não vê. Jesus fez uma pergunta intrigante, quando disse: “Contudo, quando vier o filho do homem, achará porventura fé na terra?”. Precisamos alimentar nossa fé para que não morra. Esse nosso mundo ensimesmado, de egoísmo e individualismo, precisa ser visitado por homens e mulheres com um espírito de solidariedade. Um tempo trágico como esse pode se tornar, não uma maldição, mas a oportunidade para alimentarmos a nossa fé. Eu quero orar com você: “Pai, tira-nos do egoísmo. Ensina-nos a frutificarmos na fé, a cuidarmos do outro. Para nosso bem e tua glória. Amém!

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *