Devocional

Não só praticando, mas criando o bem

“Se alguém te obrigar a andar com ele uma milha, vai com ele duas” (Mateus 5)

Existia um costume romano e de outras nações orientais, que quando enviavam emissários de um lugar para outro, era requerido que alguém da localidade viesse recebê-los e transportasse suas bagagens até o destino designado. Às vezes, algum habitante do local que fosse passando na rua, mesmo que fosse numa direção contrária, era obrigado a ajudar no transporte daquelas bagagens. Jesus, querendo ensinar sobre como deveríamos servir, disse: “Se alguém te obrigar a andar com ele uma milha, vai com ele duas”. A primeira você teria que ir por obrigação, mas a segunda, você iria por generosidade.
Parece um ensinamento simples, mas não é. Tem a mesma complexidade do ensinamento de Jesus, quando diz que o servo bom e fiel, é aquele que não faz apenas o que se manda. Lucas registrou no seu evangelho, no capítulo 17, que diz: “Assim também vós, depois de haverdes feito quanto vos foi ordenado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos apenas o que devíamos fazer”.
No livro de Gálatas, quando vai falar dos frutos do espírito, no capítulo 5, traz as palavras “bondade” e “benignidade”. Numa olhada rápida, parece-nos palavras com um mesmo significado, mas existe uma larga diferença. A palavra “bondade”, traz a ideia de prática do que é bom, alguém com uma disposição de praticar o bem. Já a palavra “benignidade”, traz a ideia de maquinação do que é bom, alguém com uma disposição de maquinar, tecer, criar situações para promover o bem. O antônimo de “benignidade” é malignidade, maquinação do mal.
Precisamos desenvolver esse fruto do espírito nas nossas vidas, precisamos desenvolver a nossa capacidade de maquinar o bem. Imagine o marido acordando pela manhã e dizendo: Preciso pensar o bem que vou fazer à minha esposa no dia de hoje. Ou a esposa pensando qual o bem que ela poderia criar, para deixar seu marido mais feliz. Ou o filho que acorda e pensa: qual o bem que eu poderei fazer, para deixar meus pais com mais paz de espírito? Numa sociedade com tanta maquinação do mal, precisamos exercitar a maquinação do bem.
Eu quero orar com você: “Pai, não queremos fazer apenas aquilo que nos mandam fazer. Queremos não só praticar o bem quando tivermos a oportunidade de praticá-lo. Queremos criar o bem, queremos maquinar o bem durante o dia de hoje. Para tua glória e nosso crescimento espiritual. Amém!”

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

4 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *