Devocional

Não se sentindo inadequado

“Ouvistes o que foi dito aos antigos: Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos e filhas do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos. Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste” (Mateus 5)

Uma das causas para rejeitarmos a religião, é porque na maioria das vezes nos sentimos inadequados, indignos. Religião lida com a ideia de perfeição, e perfeição, na religião, traz a ideia de ausência do erro, do delito. Logo, para você se sentir adequado, você não pode manifestar transgressão. Não sei como essa cobrança de ausência do erro, chegou até a religião cristã. Na primeira epístola de João, no capítulo 1, diz: “Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós”.Na primeira epístola de Pedro, no capítulo 1, diz: “Segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo”. Essa solicitação e afirmação do apóstolo Pedro, poderia se tornar contraditória com a epístola de João, e consequentemente, nos tornar inadequados para uma espiritualidade cristã.
O texto que lemos, Jesus disse: “Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos”. Aqui mora uma das maiores e mais belas das revelações do cristianismo. O que nos torna perfeitos, não é a ausência do erro, mas a nossa disposição em promovermos bondade e generosidade, a despeito de qualquer coisa, inclusive a despeito do mal. É manifestarmos bondade, mesmo diante dos que praticam a maldade. O texto diz que Deus é perfeito, pelo fato de fazer nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos.
Eu quero orar com você: “Pai, sabemos que é um grande desafio e por isso, precisamos da tua ajuda; ensina-nos a sermos perfeitos em ti, a sermos bondosos e generosos diante de situações adversas; a orarmos pelos que nos perseguem. Para edificação das nossas vidas e glória do teu nome. Amém!”.

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

4 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *