Devocional

Fortalecidos pela compaixão

“Foi trazida a cabeça de João Batista num prato e dada à jovem, que a levou a sua mãe. Então, vieram os discípulos de João, levaram seu corpo e o sepultaram; depois, foram e o anunciaram a Jesus. Jesus, ouvindo isto, retirou-se dali num barco, para um lugar deserto, à parte; sabendo-o as multidões, vieram das cidades seguindo-o por terra. Desembarcando, viu Jesus uma grande multidão, compadeceu-se dela e curou os seus enfermos” (Mateus 14)

Todos nós temos nossas próprias dificuldades, preocupações, angústias.

Existe uma urgência em cuidarmos dos nossos desafios. Pelo cenário atual, sei que estamos com muitas demandas. Alguns, mais do que outros, estão precisando, diligentemente, encontrar soluções para seus problemas. Pode soar incoerente, mas, por mais ocupados que estejamos com nossos próprios dilemas, necessitamos acudir ao outro. Isso é inerente do ser, faz parte da nossa natureza. Quando nos envolvemos com a dificuldade alheia, somos fortalecidos na alma. A narrativa que lemos, aconteceu na ocasião do aniversário do rei Herodes. Tendo a filha de Herodias dançado e agradado a todos, lhe foi prometido pelo rei, com juramento, o que pedisse. A jovem, induzida por sua mãe, pediu a cabeça de João Batista num prato. O texto diz que foram e contaram a Jesus o que tinha acontecido. Quando ele ouviu aquela história de crueldade, por muito estimar João Batista, ficou arrasado, exausto e disse: “Quero ir para um lugar deserto, à parte”. Jesus estava com dificuldade, angustiado. Desejava ficar sozinho. Não queria ver gente. Tomou um barco e afastou-se dali. As pessoas saíram seguindo por terra. Quando desembarcou no lugar que pretendia ficar, uma grande multidão o esperava. Gosto da narrativa do Evangelho de Marcos, que diz: “Ao desembarcar, viu Jesus uma grande multidão e compadeceu-se deles, porque eram como ovelhas que não têm pastor. E passou a ensinar-lhes muitas coisas”. Mesmo Jesus estando com seus próprios desafios, quando viu aquelas pessoas desamparadas, ao invés de se sentir atingido, foi fortalecido na sua natureza humana. Deixou de lado sua própria necessidade, e passou todo aquele dia cuidando e curando a todos. Quando anoiteceu, Jesus continuava ali com o povo, firme, cheio de vigor. Sei que estamos com nossas próprias dificuldades e preocupações. Cada um precisa cuidar para sobreviver. Individualmente, necessitamos de dedicação e esforço para resistirmos. Mas, mesmo tendo nossos desafios pessoais, para nosso próprio bem, aconselho a sermos solidários nesse momento. A nos envolvermos com a necessidade dos que estão próximos. Assim como Jesus foi fortalecido na sua própria vida, quando se envolveu com a necessidade das pessoas que estavam com ele, também seremos fortalecidos, se nos envolvermos no cuidado com aqueles que estão ao nosso redor. Eu quero orar com você: “Pai, ensina-nos nesse tempo acerca da solidariedade, empatia, compaixão. Ensina-nos a como nos fortalecermos, enquanto cuidamos dos que estão necessitados ao nosso redor. Para nosso bem e tua glória. Amém!

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *