Devocional

Evitando os atalhos

“E não nos deixes cair em tentação” (Mateus 6)

Se alguém me pedisse para resumidamente falar sobre tentação, eu diria: “Tentação é sair do caminho, para pegar um atalho”. É a tentativa de encurtamento no curso natural do caminho da vida. O melhor exemplo que podemos dar para um tempo como o nosso, de muita ganância por riquezas, seria o seguinte: Uma pessoa que desejando enriquecer e fazendo um planejamento de longo prazo, querendo concretizar logo esse projeto, ao invés de percorrer o caminho natural do trabalho, pega um atalho fazendo a opção por trapacear e roubar, com o objetivo de diminuir esse tempo de chegada ao objetivo.
Esses atalhos são aparentes benefícios, mas que na verdade, se tornarão caminhos de morte. No Livro dos Provérbios, capítulo 9, diz: “Quem é simples, volte-se para aqui. E aos faltos de senso diz: As águas roubadas são doces, e o pão comido às escondidas mais saboroso. Eles, porém, não sabem que ali estão os mortos”. A tentação sempre alcança os que são infiéis e caminham sem simplicidade, desejando grandeza.
Quando lemos nos evangelhos sinópticos, a narrativa da tentação de Jesus, percebemos claramente que a tentação se manifesta diante de algumas questões, como por exemplo, a das nossas necessidades. Diz que Jesus passou quarenta dias sem comer e no final dos quais teve fome. O tentador, veio e disse: “Se és Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães”.
Outra questão é a dúvida, que muitas vezes se manifesta como condição, tentando nos confundir. Na tentação de Jesus, aparece pelo menos três vezes, a conjunção subordinativa, adverbial, condicional, “SE”: “SE és filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães”; “SE és filho de Deus atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito e te sustentarão”; “Tudo isto te darei, SE prostrado me adorares”.
Nós, que estamos na estrada da vida, num mundo que naturalmente fabrica muitas necessidades e que vez por outra, nos traz algumas dúvidas no nosso caminho, precisamos vigiar para não cairmos em tentação.
Eu quero orar com você: Pai, vivemos um tempo de muitos desafios, por isso ensina-nos como vigiar em todo tempo, para não cairmos em tentação. Ajuda-nos a lidarmos com nossas necessidades na travessia da vida, com integridade e inteireza de coração. Para nosso livramento e tua glória. Amém!

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

6 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *