Devocional

Cuidando com amor

“Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum. Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição de Jesus, e em todos eles havia abundante graça. Pois nenhum necessitado havia entre eles, porquanto os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam os valores correspondentes e se distribuía a qualquer um à medida que alguém tinha necessidade” (Atos 4)

O sentimento mais nobre da nossa humanidade, é o amor. Amor sempre nos levará ao outro; não de qualquer jeito, mas, repartindo a nossa vida. Falo de partilha, não me refiro, apenas, as coisas boas, favoráveis. Quando a bíblia diz, que o amor lança fora o medo, é porque no amor, repartimos, inclusive, nossos medos. E, medo dividido com quem amamos, deixa de existir e se transforma em coragem. Não existe nada mais forte no mundo, do que a presença do amor. No amor há uma força impetuosa que é invencível. Quando o sábio Salomão, no Livro de Cantares, vai definir o amor, a primeira coisa que diz, é: “O amor é forte como a morte. As suas brasas são brasas de fogo, são veementes labaredas. As muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios afogá-lo”. O amor é o que nos vincula, nos torna um, no coração e na alma. A bíblia diz que o amor é o vínculo da perfeição. A narrativa que lemos, conta um período da vida da igreja em Jerusalém, onde o amor fraternal prevalecia sobre todas as coisas. O que mais existia eram sentimentos de unidade e solidariedade. Não prevalecia divisões, inimizades e nem egoísmo.  O texto, diz: “Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum”. Tem uma coisa preciosa nessa narrativa, quando diz que o testemunho da ressurreição de Jesus era bem recebido, porque existia naquela comunidade, um cuidado mútuo. Não havia nenhuma necessidade, que não fosse assistida. O texto, diz: “Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição de Jesus, pois nenhum necessitado havia entre eles,porquanto se distribuía a qualquer um, à medida que alguém tinha necessidade”. Estamos num momento atípico, onde precisamos cuidar uns dos outros. Ore comigo: “Pai, ensina-nos a cuidarmos uns dos outros com o teu amor. Ajuda-nos a repartirmos a nossa vida. Para nosso crescimento espiritual e tua glória. Amém!

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *