Devocional

Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte

Você que tem acompanhado as devocionais desta semana, já está familiarizado, familiarizada, com o Salmo 23. Eu queria lê-lo novamente. O texto diz assim: “O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre”

A vida é uma jornada no caminho. É uma trilha, uma estrada. Jesus disse que a verdade vida é um caminho estreito, um caminho apertado. O apóstolo Paulo diz, que não podemos construir a vida num caminho frouxo. Que não poderíamos anabolizar a vida, artificializá-la. Ele diz que a vida tem um curso natural. Não podemos driblar esse curso. Ele compara a um atleta que tem que competir segundo as normas, se não ele é desclassificado. O salmista Davi está falando do curso natural da vida, quando diz: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam”. Eugene Peterson, teólogo e escritor, traduz esse texto da seguinte forma: “Mesmo que estrada da vida atravesse o vale da morte”. Davi está dizendo: Certamente o caminho da vida atravessará o vale da sombra da morte, mas, eu não entrarei em ruína. Eu não entrarei no estado de desespero. E ele diz o porquê, logo no versículo que se segue; ele diz: “Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda”. Davi traz aqui uma figura de alegria, de contentamento, de satisfação, de bem-aventurança, de feliz, porque a sua força está no Senhor, está em Deus. Davi diz: Por isso eu sou um bem-aventurado. Por isso que eu sou feliz. Por isso meu cálice transborda. Eu gosto do salmo 84, quando diz: “Feliz é o homem, feliz é a mulher, cuja força está em ti, em cujo coração se encontram os caminhos aplanados, o qual, passando pelo vale árido, faz dele um manancial”. É sobre isso que Davi está falando. De um coração que não se abala, que não se abate, porque tem seus caminhos aplanados. O seu caminho não perde o eixo, mesmo quando atravessa o vale da morte. Eu quero orar com você: “Pai, nos ajuda a caminharmos com um coração plano. Nos ajuda a nos fortalecermos por essa manifestação da tua alegria. Para o nosso bem e tua glória. Amém!

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *