Devocional

Agradando-se dos desejos de Deus

“SENHOR, a ti clamo, dá-te pressa em me acudir; inclina os ouvidos à minha voz, quando te invoco. Suba à tua presença a minha oração, como incenso, e seja o erguer de minhas mãos como oferenda vespertina. Põe guarda, SENHOR, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios” (Salmo 141)


Tem uma coisa sutil nesse salmo. Apesar de ser uma expressão de oração por uma necessidade urgente e específica, Davi tem a preocupação com a vontade e desejo de Deus para aquela situação. Não interessa apenas uma oração atendida, mas, também, um pedido que seja coerente com o pensamento de Deus. Por acreditar na bondade divina, Davi quer que seu pedido de oração seja aceitável à Deus. Davi quer que seu pedido de oração seja uma oferta de incenso. Uma oração agradável ao coração de Deus.  Eu quero orar com você: “Pai, põe um guarda à nossa boca, vigia a porta dos nossos lábios, para que oremos como uma oferta agradável diante de ti. Cremos na tua bondosa vontade para as nossas vidas. Recebe as nossas orações como um perfume agradável as tuas narinas. Ensina-nos a nos agradarmos da tua vontade. Nos traz sabedoria e revelação, para discernirmos o que tu tens para cada um de nós nesse tempo. Para nosso bem e tua glória. Amém!

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *