Devocional

A virtude que cura

“E eu passo a mostrar-vos ainda um caminho sobremodo excelente. Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine. O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (1 Coríntios 13)

Somos uma geração adoecida na alma. São doenças que comprometem nossa alegria pela vida. Julgo que a cura para nossas emoções está no amor. No evangelho de Mateus, capítulo 24, Jesus falou que haveria um tempo em que o amor entre pessoas seria diminuído; o texto diz: “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de quase todos se esfriará”. Precisamos cuidar dessa virtude tão fundamental para nosso bem existencial. Fomos feitos para amar, por isso precisamos entender o que é o amor. O amor que a bíblia se refere é revelado na realidade da vida. É construído na naturalidade das nossas convivências, com todos os desafios próprios das nossas relações. O amor não acontece sem trabalho, sem esforço. O texto que lemos, diz: “O amor é paciente, é benigno; não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus próprios interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. Eu quero orar com você: “Pai, ajuda-nos a trilharmos o caminho do amor. Nos traz sabedoria para buscarmos essa experiência nesse caminho que cura nossa alma. Para nossa saúde e tua glória. Amém!

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *