Devocional

A revelação da nossa humanidade

“Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós. A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora” (Romanos 8)

O sofrimento não é estéril, sempre produz alguma coisa. Acredito que foi nesse sentido, que o apóstolo Paulo escreveu, dizendo: “E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança”. É estranho o que tem acontecido nesses últimos dias. Todo nosso país tem passado pelo mesmo sofrimento. Somos ameaçados por um vírus. Mudamos nossas rotinas. Não podemos conviver normalmente. Sofremos saudades dos nossos familiares, amigos, pessoas queridas que estão em quarentena. Estamos parados, privados de nossas atividades. Pessoas responsáveis, provedores familiares, estão sem perspectiva de faturamento. Sei da unanimidade entre nós, de que esse momento não é bom. Mas estive pensando que algumas situações sofreram melhoras, como é o fato de estarmos irmanados na nossa condição humana. Existe um clima de empatia, solidariedade. Algumas mães que não conseguiam tempo para seus filhos, estão tendo. Houve diminuição de gases poluentes. Estamos com menos acidentes de trânsito. Provavelmente, com os rios menos poluídos e parques mais limpos. É possível, que depois de todo esse sofrimento, aprendamos a cuidar daquilo que nos foi entregue. Quem sabe, nos enxergaremos como irmãos. Estaremos dispostos a nos sacrificar por uma boa causa. Quando possível, deixarmos nossos carros em casa. Tratarmos melhor nossos rios e oceanos. Cuidarmos melhor do lixo. Esse texto que lemos, fala que a própria natureza sofre angústia, por isso aguarda com expectativa a nossa conversão. A natureza espera dos filhos de Deus, a libertação do cativeiro da corrupção. Você pode querer argumentar, que o texto se refere a um tempo fora da terra. Só que isso será um erro hermenêutico, porque a revelação dos filhos de Deus começa aqui e agora. O texto, diz: “Os sofrimentos do tempo presente, não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós. A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora”. Ore comigo: “Pai, ensina-nos nesse tempo de sofrimento, a sermos melhores pais, irmãos, amigos. Nos torna pessoas melhores. Para nosso bem e tua glória. Amém!”

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

2 Comments

  • natália

    Espero de verdade que quando possamos sair da quarentena tenhamos aprendido alguma coisa acerca de cuidar da natureza e de nós mesmos, que esse tempo de isolamento sirva para sermos pessoas melhores do que antes ao invés de sermos como antes. Ao que parece, os humanos estavam arruinando a natureza, pois com todos nós presos, a natureza está respondendo positivamente: a diminuição da poluição, águas limpas, sem lixo e tantas outras coisas que nós como humanos, poderíamos ter aprendido a cuidar ser precisar ficarmos presos. Será que agora aprenderemos a ter consciência e cuidar do nosso planeta como nosso lar? Tomara que sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *