Devocional

A perfeita vontade de Deus

“Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre. Amém!” (Efésios 3)

Precisamos acreditar que Deus é bom. Aliás, essa é a definição de Fé em Deus. Pois fé em Deus, é acreditar na sua bondade e lealdade. Só acreditar que Deus existe, não é suficiente para vivermos uma espiritualidade cristã. Precisamos acreditar que Deus é bom. Esse é o tema central da Parábola do Juiz Iníquo. Deus é bom! Já ouvi muita gente dizer: “Deus é amor, mas também é justiça”. É verdade! Porém não podemos confundir a justiça de Deus, com o nosso conceito religioso de justiça. A justiça de Deus nunca é condenatória. A justiça de Deus sempre ampara o órfão, a viúva, e o oprimido. Já ouvi algumas pessoas, em tom de ameaça, falando: “Cuidado, porque Deus é santo”. Interessante, no capítulo 5 de Mateus, Jesus teve a preocupação de definir a santidade de Deus, colocando-a na mesma categoria da perfeição, e disse: “Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste. Porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos”. O texto está dizendo que o que faz Deus ser santo é sua capacidade de lidar com o bem e o mal sem perder sua essência; sua capacidade de lidar com o mal, e continuar sendo bom (“porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos”). Antes do apóstolo Paulo falar qualquer coisa sobre a santidade de Deus, ele fala da sua bondade, dizendo: “Se deixem ser transformados pela renovação das vossas mentes, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”. Existe uma dimensão da bondade de Deus, que só conseguiremos enxergar e entender, se formos alargados por ele no nossos pensamentos.
O texto que lemos, é o apóstolo Paulo afirmando, que mesmo que pensássemos um plano genial para as nossas vidas, não alcançaríamos o que Deus tem pensado e planejado a nosso respeito. Jeremias, no capítulo 29, profetizando sobre a bondade de Deus, disse: “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de bem e não de mal, para vos dar o futuro que desejais”.
Eu quero orar com você: “Pai, alarga o nosso pensamento, para que possamos enxergar e entender o que tu tens preparado para as nossas vidas. Para a tua glória. Amém!

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *