Devocional

A paz de Deus

“Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados” (I Coríntios 15)

Em todos os tempos, a angústia sempre foi presente na história humana. Refiro-me a angústia causada pelos dilemas existenciais. Mesmo sabendo pouco sobre a existência, somos os únicos seres capazes de pensar com consciência a respeito. Mesmo não tendo respostas para muitas perguntas sobre a vida, temos conhecimento de quem somos, da nossa finitude terrena e realidade da morte.
A bíblia diz que nosso conhecimento existencial é dado por sombras.  Inclusive, diz que Deus colocou a eternidade no coração dos seres humanos, sem que eles soubessem direito o que era. No Livro do Eclesiastes, capítulo 3, diz: “Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem e da mulher, sem que estes pudessem descobrir as obras que Ele fez desde o princípio até ao fim”. É inerente do ser. Está impresso na alma humana. Todos nós temos sentimentos de eternidade.
O texto que lemos diz: “Eis que vos digo um mistério”. É um mistério, ou seja, uma verdade que só pode ser vista por fé; inacessível à razão. Aquilo que Albert Camus chamou de “O Grande Absurdo”. Precisamos de fé, precisamos acreditar. O texto, diz: “Os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados”. Não acreditar na imortalidade, na vida eterna, é estar vulnerável à angústia.
Sei que não é fácil. São muitos os obstáculos dos quais a religião e as crendices são as principais. Acreditar, depois de tantas provas incontestáveis de exploração e charlatanismo no meio religioso, é quase impossível. Jesus, referindo-se a um tempo que viria, perguntou: “Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?”.
Buscar fé com a nossa capacidade intelectual, seria impossível. A fé, é, também, um dom de Deus. Ele agracia com fé, todo aquele, toda aquela, que a deseja com intenção sincera. Foi isso que Jesus falou, quando disse: “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus”. Eu quero orar com você: “Pai, ajuda-nos a sermos limpos de coração, sem carta na manga. O fato de desejarmos a fé, não tenha outra intenção, se não enxergarmos a tua presença nas nossas vidas. Nos enche de sentimentos de eternidade. Para nossa paz em ti. Amém!

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *