Devocional

A justiça que nos traz a vida

“Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque vos digo, que se a vossa justiça não exceder em muito a dos fariseus, jamais entrareis no reino dos céus. Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás e quem matar estará sujeito a julgamento. Eu, porém, vos digo, que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão, estará sujeito a julgamento” (Mateus 5)

Os fariseus eram rigorosos no cumprimento da Lei, mas não observavam e nem tinham o cuidado de discernir o espírito da lei. Por isso Jesus sempre citava a lei e trazia imediatamente o espírito da lei. Jesus citando a Lei, disse: “Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás, eu, porém, vos digo, aquele que sem motivo se irar contra seu irmão, estará sujeito a julgamento”. Por isso, o apóstolo Paulo escrevendo aos coríntios, disse: “A letra mata, mas o espírito vivifica”. É como se estivesse alertando para a necessidade de discernimento do significado da lei. Alertando de que o âmago da lei, não seria matar, mas vivificar. Quando Jesus diz, que não veio para revogar a lei, mas para cumpri-la, tem a preocupação em dizer: “Porque vos digo, que se a vossa justiça não exceder em muito a dos fariseus, jamais entrareis no reino dos céus”. A justiça dos fariseus era uma justiça punitiva, condenatória, do apedrejamento, do afastamento de Deus. Por outro lado, a justiça ensinada por Jesus, não era punitiva, não esmagaria a cana quebrada, nem apagaria o pavio que fumega; seria uma justiça reparadora, vivificadora, do amparo ao órfão e a viúva. Jesus de Nazaré é a expressão do espírito da Lei; de uma lei que não nos afasta de Deus, mas que nos conduz até Ele. Jesus de Nazaré, figura humana, é a expressão do caminho que nos leva a verdadeira vida com Deus, pois disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão for por mim”. Ele disse: “Porque eu vos dei o exemplo, para que, assim como eu vos fiz, fazei vós também”. Eu poderia colocar isso de outra forma, sem alterar a mensagem; como por exemplo: “Disse Jesus: Eu sou o caminho que leva à verdadeira vida com Deus. Eu sou o exemplo”. Aqui responde à pergunta, do porquê se fala tanto em Jesus de Nazaré, quando se quer falar do caminho que nos leva à Deus. Eu queria desafiar você que deseja uma vida com Deus, a olhar para a vida de Jesus de Nazaré através dos Evangelhos. Eu quero orar com você: “Pai, nos traz discernimento do teu caminho, durante todo o nosso dia de hoje, através do exemplo da vida de Jesus de Nazaré. É o que te pedimos. Amém!
Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *