Devocional

A justiça começa em mim

“Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também” (Mateus 7)

Tem duas coisas aqui nesse texto que lemos: uma é mais fácil de identificar, que é a seguinte mensagem: “Não trate o outro com hostilidade, a menos que queira receber o mesmo tratamento. O que você estabelece como tratamento, mais tarde pode ser aplicado a você”. A outra mensagem é mais discreta, está nas entrelinhas, que é: “Pratique a justiça, não seja injusto. Não julgue o outro por aquilo que você é”.
Existe uma forma de injustiça que é aquela em que eu exijo do outro, aquilo que eu não quero para mim. Inclusive Jesus denuncia a comunidade dos fariseus por essa prática injusta. Eles colocavam fardos pesados na vida dos outro, mas não queriam que fossem colocados sobre as suas vidas. Existe uma outra forma de injustiça, que é mais prejudicial ainda. É quando eu julgo e condeno o outro sem causa, simplesmente, pelo critério de medir o outro por aquilo que eu sou.
É exatamente isso que Jesus está denunciando aqui nesse texto. Ele está dizendo: “Cuidado para não se entregar. Cuidado para não ficar visível, que a forma como você está enxergando o outro, é a forma como você está vivendo, pensando e fazendo. A medida com que você está enquadrando o outro, será a medida com que você deverá ser enquadrado”. Esse é um princípio básico da justiça. É um princípio fundamental da espiritualidade cristã. Não devemos querer para o outro, o que não queremos para nós mesmos. Quando enxergamos o outro com justiça, ao invés de julgá-lo pelas nossas falhas e transgressões, usamos o critério da generosidade e misericórdia. Precisamos construir um mundo mais justo e isso depende de cada um. Não podemos esperar um mundo mais justo se não contribuímos para que isso aconteça.
Eu quero orar com você: “Pai, nos torna parte dos processos de plantação da justiça. Nos ensina durante esse dia, em tudo que formos fazer, nas pequenas coisa, a sermos uma manifestação da justiça. Para que tenhamos um mundo melhor e para glória do teu nome. Amém!

Flávio Leite

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *