A-convicção-do-cuidado-de-Deus-devocional-flavio-leite
Devocional

A convicção do cuidado de Deus

Nós estamos fazendo a leitura de alguns salmos, e eu queria ler o Salmo 23, que diz: “O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges-me a cabeça com óleo; o meu cálice transborda. Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre”

Nós estamos passando por um momento incomum, que nos causa estranheza. Certamente você já fez algumas perguntas, e essas perguntas causaram desorganização no seu pensamento. Porque a vida é feita de construções, desconstruções, alegrias, tristezas. Em tempos de construção, é mais fácil compreendermos a vida. Quando passamos por momentos de alegria, é comum estarmos com o pensamento organizado. Porém quando somos alcançados pela adversidade, por aquilo que a bíblia chama de dia mau, necessitamos discernir os nossos pensamentos. Por sermos pessoas de fé, precisamos cuidar para não nos alienarmos. A fé não pode nos roubar a visão da verdade. Em tempos de tribulação, é necessário enxergarmos com lentes da realidade. Davi, o principal rei da nação de Israel, viveu seus tempos difíceis, desafiadores, mesmo sendo um homem de fé. Como a bíblia diz, um homem segundo o coração de Deus. Nesses períodos, precisou enxergar com clareza, sem perder a razão, sem se deixar confundir. A bíblia diz, que na verdade não serão confundidos os que esperam no Senhor, confundidos serão os que transgridem sem causa. Nesse texto que lemos, mesmo o salmista consciente de que estava passando pelo vale da sombra da morte, não afastou o reconhecimento do valor da presença do Deus que cria. Sabia que o motivo do refrigério da alma, era aquela presença. Deus era a razão de se sentir em pastos verdejantes e águas de descanso. Se sentia num lugar seguro e de repouso. Davi não estava alienado, num estado delirante. Reconhecia perfeitamente a dificuldade que está sofrendo. Enxergando a dura realidade, o salmista não se deixou envolver por um espírito de medo. Ele não se deixou vencer por um espírito de pessimismo. Davi foi tomado por bons sentimentos. Provavelmente, sabendo que era impotente diante daquela trágica situação, se firmou na convicção do cuidado de Deus. Convenceu-se de que a presença da bondade e misericórdia, seriam suficientes para continuar firme na jornada da vida. Eu quero orar com você: “Pai, nos enche de convicção da tua bondade. Nos enche da certeza de que não estamos sós. Que tenhamos o mesmo discernimento do salmista Davi, que pisando em terrenos do vale da sombra da morte, não se confundiu. Conseguiu enxergar uma mesa preparada na presença da dificuldade. Nesse tempo de tribulação, nos envolve com a tua alegria, paz, e esperança. Para edificação das nossas vidas e glória do teu nome, é que te pedimos. Amém!

REFLEXÕES AUTORAIS SOBRE HUMANIDADE Palestrante, educador e estudioso da filosofia e do comportamento humano 👇🏽Leia a crônica da semana www.flavioleite.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *